JQUERY RADIO PLAYER and WORDPRESS RADIO PLUGIN powered by WordPress Webdesign Dexheim and FULL SERVICE ONLINE AGENTUR MAINZ
25 C
Lisboa

Água e Saneamento: As últimas décadas na Região

Os indicadores são favoráveis para a região na evolução do consumo seguro de água da torneira nos últimos quase 30 anos. De facto, em 1993 só 50 por cento da água consumida em Portugal era segura (clique na infografia). Em 1995, os níveis de cobertura do abastecimento de água nas habitações já se situavam na grande maioria acima dos 90 por cento, mas atingiram em 2021, segundo dados da Pordata, valores já muito próximos dos 100 por cento.   No capítulo do saneamento básico também houve uma melhoria dos níveis, mas os números são mais baixos face ao abastecimento. Contudo e em todo o país segundo a Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas Residuais, numa informação divulgada no ano passado, 861 mil casas em Portugal não estão ainda ligadas à rede de água e 1,3 milhões não possuem saneamento básico.

No capítulo que foca a percentagem de habitações com ligação ao sistema de abastecimento público de água, o concelho de Vila Franca de Xira, pelas suas características urbanas, já tinha 100 por cento de casas com água da torneira há quase 30 anos, e a situação não se alterou. O mesmo é válido para o tratamento de águas residuais. É seguro beber água da torneira neste concelho. Já o era em 95, mas atualmente situa-se praticamente nos 100 por cento.

Já nos concelhos que se situam atualmente na esfera da Águas do Ribatejo, Salvaterra de Magos e Benavente, este último concelho apresenta um ligeiro decréscimo quanto à percentagem de habitações sem ligação à rede de abastecimento, se será ou não um dado fortuito não haverá informação que possa sustentar essa explicação, mas poderá inferir-se que uma parte da população recorre a furos domésticos para o efeito. Não deixando contudo de ser um número em contraciclo com os dos demais concelhos. Já em Salvaterra esse número aumentou. Quanto à segurança da água para consumo, em Salvaterra de Magos é total, em Benavente fica a escassas décimas dos 100 por cento.

No concelho de Alenquer, aumentou o número de casas com acesso à água da torneira, mas o mais relevante é a percentagem de casas que passaram a ser servidas por saneamento básico, em que passamos de 49 para 84 por cento. Também neste concelho, os níveis de água segura para consumo humano estão perto dos 100 por cento.

Já em Azambuja, a percentagem de casas servidas por água da torneira aumentou, situando-se atualmente nos 98 por cento; mas assiste-se a um decréscimo do número de habitações sem acesso ao saneamento básico. Por variadas vezes, tem sido referido o facto de não existir tratamento de esgotos em algumas zonas do concelho, e até na própria freguesia de Azambuja. Em Azambuja beber água da torneira é seguro e os valores rondam os 100 por cento.

Por último no município de Arruda dos Vinhos, também aumentou a percentagem das habitações onde existe ligação à rede de abastecimento de água. Atualmente 63 por cento das habitações estão ligadas à rede de saneamento básico, embora não tenham sido fornecidos dados de 1995 para que se faça uma comparação quanto a esta evolução. A água também aqui é segura para consumo humano.

últimos artigos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome