A vila de Alenquer recebe, de 14 a 17 de setembro, mais uma edição do festival “Alma do Vinho”. Segundo o município, a fasquia deste ano encontra-se elevada, sobretudo depois de em 2022, o festival ter recebido cerca de 35 mil visitantes. Em entrevista à Rádio Valor Local, o vice-presidente da Câmara, Rui Costa, sublinha ainda assim que nesta edição, “o festival não vai sofrer alterações muito significativas”, mas existirão surpresas.

O vice-presidente concretiza que o certame vai continuar a reforçar a promoção dos vinhos de Alenquer “obviamente por se realizar aqui, mas acima de tudo dos vinhos da região vitivinícola de Lisboa”.

Segundo Rui Costa, nesta edição de 2023, “vamos poder contar com muitos produtores à semelhança de outros anos que vêm a Alenquer mostrar as suas mais recentes produções”. Uma mostra que será feita através de várias provas de vinhos que decorrerão ao longo do certame. São provas dedicadas a vários tipos de público, segundo o vice-presidente. Provas para um público curioso, mas também para um público mais especializado, através de provas premium, “com vinhos de topo mundial”. “Vamos criar aqui uma oportunidade para quem gosta desse tema, já que o custo de apenas de uma garrafa é muito alto, e a prova de vinhos em grupo baixa significativamente esse valor”, dá conta. Rui Costa fala num recinto pensado para as famílias, sendo que enquanto os pais estão numa prova de vinhos, os filhos podem divertir-se nos concertos ou noutros divertimentos que estão disponíveis no Parque Urbano da Romeira.

Mas a Alma do Vinho vai para lá do néctar e das suas especificidades. O cartaz musical deste ano está recheado de nomes importantes da música nacional. Rui Veloso, Carolina Deslandes, Calema, e Ana Bacalhau são os cabeça de cartaz para animar a parte musical, que noutros anos já trouxe a Alenquer milhares de pessoas. Rui Costa vinca a qualidade dos artistas de 2023, mas salienta que gostava de ter nomes internacionais em futuras edições.

Segundo o vice-presidente, “estamos aqui num patamar já muito elevado com nomes nacionais”.  “Se calhar no próximo ano voltaremos a internacionalizar o certame”.
Rui Costa diz que gostava de ter em Alenquer Ivete Sangalo, algo que refere estar ao alcance do município, “porque estes artistas enchem a casa em minutos, e, portanto, acabam por se pagar com facilidade”. O Parque Urbano da Romeira terá ainda três palcos secundários, “onde vão estar a atuar artistas locais e regionais”.

Artigo anteriorJornada Mundial da Juventude: Mais de meio milhão de pessoas controladas e impedida a entrada de 83
Próximo artigoTertúlia CCM entrega 2 mil 284 euros aos bombeiros de Azambuja

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome