JQUERY RADIO PLAYER and WORDPRESS RADIO PLUGIN powered by WordPress Webdesign Dexheim and FULL SERVICE ONLINE AGENTUR MAINZ
14.7 C
Lisboa

Aumenta o número de carros abandonados no Carregado com o regresso de imigrantes aos seus países

Nos últimos anos tem aumentado o número de veículos abandonados na vila do Carregado. O assunto foi levantado em reunião de Câmara por uma munícipe tendo em conta que muitos desses automóveis estão a ocupar lugares de estacionamento. Em declarações ao Valor Local, o vice-presidente da Câmara de Alenquer, Tiago Pedro dá conta que esta é uma realidade muito relacionada com o fenómeno da imigração, em que quem vive no concelho decide regressar ao seu país de origem, e como não tem condições de transportar os veículos acaba por os deixar na via pública.

O autarca explica que nesta altura é a Câmara que está incumbida de proceder ao reboque e à notificação dos proprietários dos veículos “o que é sempre um processo moroso” e burocrático que implica o contacto por carta. Muitos dos veículos na vila do Carregado estão a ser deixados em espaços privados em logradouros não vedados dentro de urbanizações, o que motiva desde logo queixas dos munícipes. Tiago Pedro especifica que comunicar com muitos dos proprietários é uma tarefa quase impossível pois são estrangeiros e já não residem no país. Um dos problemas maiores prende-se com uma urbanização situada na zona da Associação Desportiva do Carregado em que o espaço é usado para este tipo de estacionamento. Aguarda-se que a área em causa seja desafetada de espaço privado para público. Há anos que se procura consenso entre todos os condóminos. É um assunto que já se arrasta há vários mandatos. “Nesse aspeto não podemos passar um auto de reboque porque não se trata de via pública”.

Em 2023, a Câmara de Alenquer rebocou mais veículos do que nos últimos quatro anos. Foi votado, numa das últimas reuniões de Câmara, o abate de 25 veículos. A Câmara tem um protocolo com uma empresa do setor, mas quando se está em presença de viaturas ainda em boas condições, o município tem optado por realizar hastas públicas para venda das mesmas. Mesmo assim a autarquia após o reboque não pode proceder à venda ou ao abate de imediato dado que a lei estipula um prazo tendo em conta a possibilidade de surgir o proprietário a reclamar o seu veículo.

últimos artigos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome