Os serviços de Águas e Saneamento da área de influência do Valor Local continuam a passar com nota positiva nos estudos da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR). Em relação ao último estudo levado a cabo para o intervalo de tempo entre 2014 e 2018 do qual demos conta num artigo publicado em 2020, houve indicadores que melhoraram, mas há problemas que se mantêm nos diferentes concelhos.
De acordo com o mais recente estudo de benchmarking da entidade reguladora, para o ano de 2022, em todos os sete concelhos (Azambuja-Águas da Azambuja; Alenquer – Águas de Alenquer; Cartaxo- Cartágua; Salvaterra de Magos e Benavente- Águas do Ribatejo; Vila Franca de Xira – SMAS; e Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos) o indicador relacionado com a facilidade de ligação às redes de água é boa em toda a baixa, bem como no serviço da alta, Águas de Lisboa e Vale do Tejo. Em Alenquer e no concelho de Vila Franca de Xira atinge mesmo os 100 por cento.

Naquilo que é o que cada família paga na sua fatura da água, e segundo os cálculos da ERSAR, e para um rendimento anual médio das famílias de 39 mil 258 euros, o que não será o caso da grande maioria das famílias da região, a acessibilidade económica ao serviço, ou seja, a facilidade com que cada agregado paga esta fatura é considerada como boa em todos os concelhos, à exceção de Alenquer onde a acessibilidade é mediana.

Já no indicador relacionado com a ocorrência de falhas no sistema, ou seja, o cálculo quanto à quantidade de vezes que a água falta nas torneiras, a Águas de Lisboa e Vale do Tejo na alta o obtém uma pontuação mediana pela ERSAR. Este indicador tem uma boa classificação no concelho de Vila Franca através dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS), bem como em Alenquer e nos concelhos servidos pela Águas do Ribatejo, sendo este sistema multimunicipal o que melhor performance obtém neste indicador na nossa região. Já em Azambuja (ADAZ) e no Cartaxo (Cartágua) ocorrem mais falhas no abastecimento. O serviço aqui é considerado como mediano pela ERSAR, sendo que é no concelho do Cartaxo através da Cartágua onde ocorrem mais faltas de água na torneira. A Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos neste indicador, como noutros, não forneceu informação à entidade reguladora tendo em vista a compilação deste estudo.
Já quanto à água segura para consumo, de boa qualidade e obedecendo a todos os parâmetros, as entidades da região conquistam valores muito satisfatórios. Em todos os sete concelhos, a qualidade da água da torneira é considerada como boa. No concelho de Alenquer atinge mesmo os 100 por cento.

Por regra, este tipo de serviço recebe várias queixas por parte dos consumidores seja por discrepâncias nas faturas, aumento dos custos, interrupção no fornecimento de água, ou porque a água sai amarela das torneiras, como tal a ERSAR mediu também o desempenho dos operadores no que respeita ao indicador relativo às respostas a reclamações e sugestões. No caso da alta, e do sistema da Águas de Lisboa e Vale do Tejo este indicador atinge o pleno, nos 100 por cento, o mesmo se passa em Alenquer, Azambuja, Cartaxo e nos concelhos servidos pela Águas do Ribatejo, e como tal é atribuído um bom pela ERSAR, pese embora as muitas críticas de ausência de resposta que regra geral está associada a algumas destas empresas. Em Arruda dos Vinhos, a frequência de resposta é mediana, mas é em Vila Franca de Xira que a fasquia cai abruptamente com a ERSAR a referir que a o índice de resposta deste operador é considerado como insatisfatório. Os SMAS apenas respondem 37 por cento das vezes a reclamações e sugestões dos consumidores. Aliás o concelho faz mesmo parte da liga dos últimos no país, apenas superado por Espinho, Pena, Monção, Óbidos, Anadia, Loulé e Alcoutim.

A ERSAR mediu ainda o indicador relativo à sustentabilidade dos sistemas através daquilo que é a cobertura de gastos de cada um. Assim é no concelho do Cartaxo que a concretização deste equilíbrio é realizada da melhor forma, com a Cartágua a obter uma pontuação como boa. Este indicador obtém ainda este tipo de avaliação positiva nos SMAS de Vila Franca. Já em Azambuja e Alenquer a classificação é mediana. Nos concelhos da Águas do Ribatejo, e Arruda dos Vinhos o nível é insatisfatório, onde alegadamente as entidades têm mais dificuldade em fazer face aos custos relacionados com os sistemas.

No capítulo da água não faturada que em níveis altos pode condicionar o equilíbrio económico dos sistemas, os valores não são animadores na região. A Águas de Lisboa e Vale do Tejo, na alta, obtém uma performance considerada mediana pelo regulador, assim como, os SMAS de Vila Franca de Xira e Águas da Azambuja – É neste último concelho que este indicador é o mais positivo dos sete. Também a Águas de Alenquer se encontra no intervalo de valores para um resultado mediano. Com nota insatisfatória ficaram Arruda dos Vinhos; onde a água não faturada atinge valores mais altos na região; Águas do Ribatejo, e Cartágua.

A ERSAR quis ainda medir o indicador relativo à necessidade de uma reabilitação consistente das condutas. Neste item apenas os SMAS de Vila Franca de Xira têm uma boa classificação. Já nos restantes concelhos o cumprimento deste índice é considerado como insatisfatório. Arruda dos Vinhos mais uma vez não forneceu dados nesta componente.

Saneamento básico e recolha de resíduos urbanos: Vários pontos a melhorar

No que respeita aos indicadores do saneamento básico, e olhando para o que diz respeito à acessibilidade física ao tratamento, ou seja, perceber até que ponto há sistema de tratamento de esgotos e respetivas estações de tratamento a jusante das habitações. Assim e neste item quer a Águas de Vale do Tejo quer a Águas do Tejo Atlântico atingem os 100 por cento. É o caso também dos SMAS de Vila Franca, Águas de Alenquer, e Águas da Azambuja. Já no sistema da Águas do Ribatejo, a ERSAR considera que os valores se encontram dentro da mediania, embora a Águas do Ribatejo esteja a um ponto percentual de subir a fasquia para o bom. O concelho de Arruda dos Vinhos volta a não responder a mais um item. No Cartaxo, o serviço é insatisfatório.

Importante neste domínio foi também perceber até que ponto é que os consumidores se ligam ao sistema de tratamento de esgotos onde ele é disponibilizado, visto que muitas vezes surge a crítica de que os habitantes de determinadas localidades optam por não o fazer. Assim em locais onde as infraestruturas estão a cargo da Águas de Lisboa e Vale do Tejo e Águas do Tejo Atlântico a adesão é considerada como mediana. Os SMAS de Vila Franca, a Águas da Azambuja, e a Cartágua ficam bem classificados pela ERSAR neste âmbito. Já o serviço, neste campo, da Águas do Ribatejo é considerado insatisfatório bem como o da Águas de Alenquer. Arruda dos Vinhos mais uma vez não respondeu.

Em Azambuja, o serviço de lavagem de contentores obtém nota positiva da ERSAR

Passando agora para a componente dos resíduos urbanos, uma das queixas que mais ouvimos por parte das populações diz respeito à lavagem de contentores. Assim e na nossa área de influência o serviço em alta por parte da Ecolezíria e Valorsul é avaliado como mediano. Já no que respeita aos concelhos e à baixa, apenas em Azambuja e Alenquer o serviço efetuado pelas empresas é considerado como bom, o que contrasta com o que os munícipes vão dando conta. Em Azambuja, os contentores foram limpos e desinfetados pela última vez a 29 de junho último.

A fiabilidade das respostas das empresas e dos sistemas não deixa de ser colocada muitas vezes em causa pela ERSAR tendo em conta as muitas queixas que este setor motiva. Ainda quanto à lavagem de contentores, é insatisfatória nos demais concelhos, à exceção de Vila Franca que obtém uma classificação mediana.

Consultámos ainda neste estudo o item relacionado com a acessibilidade ao serviço de recolha seletiva, ou seja, até que ponto determinadas zonas habitacionais são servidas por ecopontos (distância de 100 metros nas freguesias ditas urbanas e 200 metros nas rurais). Na alta, a Valorsul obtém uma classificação boa, já a Ecolezíria faz um serviço mediano, segundo a ERSAR mas quase a resvalar em pontos percentuais para o insatisfatório. Já quanto à baixa, o serviço é considerado bom em Arruda dos Vinhos; Alenquer; Azambuja, sendo o concelho de Alenquer o mais bem servido por ecopontos. A qualidade é mediana em Vila Franca de Xira e Benavente. Cartaxo e Ecolezíria na baixa bem como Salvaterra de Magos atingem níveis insatisfatórios.

Artigo anteriorBata Branca em Benavente está sem médicos e provedor admite dificuldades
Próximo artigoLélio Lourenço: “Baixar os Impostos é Imperativo”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome