O Observatório Metropolitano do Desporto e da Atividade Física, criado pela Área Metropolitana de Lisboa, com dados sobre equipamentos, atividades, técnicos e praticantes, fornecidos por cada um dos 18 municípios, faz um balanço positivo. Foi construído com base num trabalho colaborativo, e é um instrumento ao serviço de melhores políticas para o desporto e para a atividade física em toda a região metropolitana.

Jorge Proença e Mário Guimarães, da Universidade Lusófona começaram por fazer um balanço muito positivo do trabalho até agora desenvolvido no âmbito do observatório, no passado dia 12 de julho.

“O acesso a informação organizada, a utilização de dados para o desenvolvimento de outros projetos municipais e a quantidade e variedade da informação disponibilizada são alguns dos aspetos mais positivos do observatório”, refere em comunicado de imprensa a AML.

Como aspetos a rever estão a incerteza da atualização de informação e os lapsos detetados no carregamento de dados, que dificultam a procura e utilização da informação disponível.

A curto prazo, pretende-se reformular o modelo de recolha de dados, introduzir novas funcionalidades de pesquisa e exportação de dados e introduzir novas formas de apresentação da informação.

Está em análise um projeto de atividades associado ao observatório, com objetivos associados à saúde, educação e planeamento do território, à realização de estudos de procura e interesse das populações, à organização de encontros regulares entre as equipas municipais para debate e partilha de experiências, à edição de publicações, e à realização de ações de sensibilização, formação e programas de apoio

Manter o Observatório atualizado, dar sentido prático aos resultados observados, alinhar os planos de ação intermunicipais em função de recomendações e medidas já existentes na comunidade, favorecer a cooperação intermunicipal nas áreas de interesse comum, conjugar os recursos existentes permitindo maior alcance no território da AML e estruturar uma base de dados que permita análises comparativas e evolutivas são, por isso, alguns dos seus objetivos, a curto e médio prazo.

Artigo anteriorMónica Guerra apresenta “Verão, O Legado”
Próximo artigoCâmara de Azambuja e Cruz Vermelha de Aveiras de Cima lançam Programa de Apoio Alimentar para pessoas carenciadas

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome