O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) deu  entrada, no dia 14 de julho, no Parlamento de um pacote de iniciativas que visam pôr fim à realização de touradas em Portugal.  Entre as iniciativas apresentadas, o PAN volta a dar entrada de um requerimento no sentido da reconversão da praça de touros do Campo Pequeno e defende a extinção da secção de tauromaquia do Conselho Nacional de Cultura. Além disso, defende a desclassificação da Capeia Arraiana, uma modalidade tauromáquica praticada no concelho do Sabugal, como Património Cultural Imaterial e pretende ainda travar o processo de classificação com esse mesmo estatuto das Festas do Colete Encarnado como Património Cultural Imaterial, proposta pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.

“Há muito que o PAN vem lutando pela reconversão desta praça de touros em pleno coração de Lisboa, naquele que é um péssimo cartão de visita ao ser palco de ações de violência gratuita contra os animais e perante, inclusive, crianças e jovens, ao arrepio do que recomendam organizações internacionais. Não baixamos os braços e, por isso, hoje mesmo voltámos a dar entrada de uma nova iniciativa nesse sentido”, afirma a porta-voz e deputada do PAN, Inês de Sousa Real. 

O PAN pretende ainda o fim das touradas em praças ambulantes, “pelo perigo que representam para as pessoas e pelas sucessivas violações da lei ao falharem reiteradamente no cumprimento das mínimas condições mínimas de bem estar animal”, refere no mesmo comunicado.

Artigo anteriorVMER do Hospital de Vila Franca das mais operacionais do país
Próximo artigoPaulo Afonso: “Os Dois Ovos da Serpente”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome