JQUERY RADIO PLAYER and WORDPRESS RADIO PLUGIN powered by WordPress Webdesign Dexheim and FULL SERVICE ONLINE AGENTUR MAINZ
14.1 C
Lisboa

TGV leva a sessão de esclarecimento em Alcoentre

Depois de Vila Nova da Rainha, é a vez de o TGV assustar os moradores de Alcoentre. No mês de abril, a Câmara de Azambuja promoveu uma sessão de esclarecimento nos Bombeiros Voluntários de Alcoentre. Em cima da mesa estão dois traçados. Um deles é particularmente pacífico, mas o outro a ir para a frente causará vários inconvenientes à população porquanto a linha de alta velocidade passa mais perto das habitações da freguesia.

Ao nosso jornal, Luís de Sousa, munícipe e antigo presidente da Câmara, que esteve presente na reunião, reflete que a mesma não produziu especiais resultados, dado que apenas se destinou a ouvir a população. O município vai dar, agora, conta junto da Infraestruturas de Portugal acerca do traçado que pode ser mais conveniente para o concelho de Azambuja. O traçado que pareceu mais razoável “aos moradores é o que parte do muro da Torre Bela e segue para Manique do Intendente passando a alguma distância da freguesia, afetando apenas a parte da zona da Caneira onde moram três ou quatro pessoas, mas mesmo assim a alguns metros”. Este traçado não passa dentro de aglomerados populacionais. Alguns dos presentes na sessão demonstraram preocupação face à possibilidade de passar junto a Vale Vigário, Casais das Boiças, Já o outro traçado que pode revelar-se mais pernicioso para os interesses da população atravessaria Casais da Areia, e a Ponderosa.

António Loureiro, munícipe e antigo presidente da junta local, foi quem pediu este encontro do município com a população e ao Valor Local esclarece que as pessoas gostavam de ter sido mais bem esclarecidas, até porque “os técnicos da Câmara disseram logo que não podiam disponibilizar os mapas” que foram mostrados num ecrã de pequena dimensão. Loureiro ficou com a ideia que um dos traçados entra mesmo pelo meio de Casais da Areia, um pequeno aglomerado composto por 10 casas e onde ainda vivem algumas pessoas. “As pessoas queriam mais transparência e não a tiveram”, até “comparando com Vila Nova da Rainha onde a IP apareceu a dar explicações, o que não sucedeu aqui”. “Disseram que apenas mostrariam o projeto quando for definitivo, mas nessa altura pode ser já tarde demais”

Os fregueses de Alcoentre “querem ter o mesmo tratamento de Vila Nova da Rainha” que conseguiu evitar a passagem do TGV a escassos metros das casas, com o desvio da linha em 300 metros para sul da localidade”, refere Luís de Sousa.

últimos artigos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome