JQUERY RADIO PLAYER and WORDPRESS RADIO PLUGIN powered by WordPress Webdesign Dexheim and FULL SERVICE ONLINE AGENTUR MAINZ
14.7 C
Lisboa

(Atualizada) Listas dos Partidos à Assembleia da República com lugares medianos para os políticos da região

Com as eleições de 10 de março no horizonte, a “luta” pelos lugares de deputados nas listas à Assembleia da República adensa-se. Pela área de influência do Valor Local, concelhos de Azambuja, Vila Franca de Xira, Arruda dos Vinhos e Alenquer (distrito de Lisboa) e Salvaterra de Magos, Benavente, Cartaxo (distrito de Santarém), os nomes vão surgindo, sendo que Bruno Ventura, será o mais bem posicionado nas listas da AD por Lisboa, num sétimo lugar que será fixo e com eleição garantida, quer a AD que inclui o PSD, CDS e PPM, ganhe ou perca as eleições.

Dito isto, e porque as listas dos principais partidos, têm sofrido alterações, vários possíveis candidatos têm desistido por não concordarem com os lugares atribuídos, ou porque simplesmente não gostaram de algumas atitudes das respetivas cúpulas. As possíveis alterações a surgirem nos próximos dias poderão marcar alguma dinâmica neste período de escolha das listas, com subidas, entradas novas e mexidas, se bem que nesta altura a acontecerem serão sobretudo no Chega, Bloco de Esquerda, CDU, IL, PAN, e Livre conhecidas que já são as listas completas dos dois principais partidos.

Mas no rácio destas listas, entre PS e PSD, importa também perceber que muitos destes candidatos, alguns em posições modestas a meio da lista, só terão possibilidade de serem eleitos, caso existe uma vitória expressiva de cada um desses partidos, algo que parece cada vez mais difícil a acreditar nas várias sondagens existentes.

Neste balanço, parece difícil fazer previsões, mas estima-se que por Lisboa, o PS possa eleger entre 16 a 18 deputados, sendo que logo na margem de erro surge o nome de André Rijo, atual presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos, que aparece na 15ª posição pelo distrito de Lisboa. Aliás o autarca de Arruda dos Vinhos está no seu último mandato, foi apoiante de Pedro Nuno Santos desde a primeira hora, e tem com ele uma relação de amizade antiga.

Maria da Luz Rosinha, antiga presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, e que integrou os governos de Costa desde a primeira hora, surge nesta lista por Lisboa num modesto 20º lugar, contrastando com o 9º lugar que assumiu em 2022, precisamente no último ato eleitoral que deu a maioria absoluta a António Costa. A atual deputada poderá não ser eleita, isto no caso de o PS não vencer as eleições por uma larga margem. Se for o contrário, muitos dos seus colegas de lista podem passar para o Governo e Maria da Luz Rosinha não deixará de ser deputada. Mas se as eleições forem taco a taco entre primeiro e segundo há menos lugares e Rosinha pode ficar de fora do parlamento. Maria da Luz Rosinha foi uma das acérrimas defensoras de José Luis Carneiro como candidato a Secretário-Geral do PS.

Já na AD, e pela nossa área de influência, António Jorge Lopes, antigo vereador da Câmara de Azambuja, é o nome mais bem posicionado, depois de Bruno Ventura. O nome de Jorge Lopes, surgiu primeiro no 28º lugar, mas após desistências e mexidas está agora na 25ª posição, mas poderá chegar ao 23º lugar, segundo apurou o nosso jornal, que é exatamente o mesmo de Vera Braz (PS), atual presidente da Assembleia Municipal de Azambuja, mas aqui, tanto um como outro, só terão hipóteses de subir para plenário, no caso de haver desistências, ou no caso de uma vitória com larga maioria de qualquer um dos partidos.

Mais abaixo, nas listas da AD, surgem os nomes de David Pato Ferreira, vereador na Câmara de Vila Franca de Xira na 31ª posição, e Andreia Revez em 34º lugar. São lugares modestos, mas que segundo Rui Rei, presidente da concelhia laranja no programa de debate da Rádio Valor Local “Café Central”, são posições normais face ao facto de à sua frente estarem figuras nacionais e de proa do partido. Nas listas do PS, a referência ainda a João Pedro Baião, vereador da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, em 39º lugar e Diana Mota a nova presidente da concelhia socialista de Vila Franca na 47ª posição. Ana Sofia Antunes, atual Secretária de Estado da Inclusão e residente no concelho de Vila Franca de Xira, e que em 2022 foi eleita na 14ª posição das listas por Lisboa, segue agora como número dois nas listas por Leiria. Ana Carla Costa, também de Vila Franca, é de resto o nome que fecha as listas do PS por Lisboa na 48ª posição.

Já Nuno Miguel Henriques, atual vereador do PSD de Alenquer, figura também na chamada posição de honra em 48º lugar, imediatamente antes dos suplentes por Lisboa. É para já o único representante do concelho de Alenquer nestas eleições, face à desistência de João Nicolau, um dos braços direitos de José Luís Carneiro que seguramente não quis ficar à espera de um lugar nas listas de Pedro Nuno Santos. Uma baixa de peso do ainda deputado que vai com certeza redirecionar toda a sua atenção para ser o cabeça de lista do PS nas próximas autárquicas concelhias. Já Pelo distrito de Santarém, surge o nome de Ana Bernardino (PS), militante do concelho do Cartaxo, na oitava posição com poucas probabilidades de chegar à eleição. Ainda neste distrito segue nas listas do PSD, Ricardo Oliveira, deputado da Assembleia Municipal de Benavente, na quinta posição.

O Valor Local contactou ainda o Chega tendo em conta a possível inclusão dos vereadores Inês Louro (Azambuja) e Barreira Soares (Vila Franca) mas as listas só vão ser conhecidas no dia 29 de janeiro. Contudo a vereadora na Câmara de Azambuja deu a conhecer junto do nosso jornal que vai nas listas por Lisboa indicada pela direção nacional do partido, mas diz desconhecer ainda a sua posição. Luísa Areosa, deputada municipal no Cartaxo e presidente da mesa da Distrital de Santarém, segue nas listas por este distrito na 3ª posição. Em comunicado, o Chega, refere, que este será um lugar potencialmente elegível.

Quanto à CDU, Cláudia Martins, militante de Alhandra, é a número três da lista por Lisboa, um lugar que em outros tempos dava entrada direta no Parlamento, mas a avaliar pelo resultado das últimas eleições em que o PCP apenas conseguiu eleger os dois primeiros pelo distrito de Lisboa (Jerónimo de Sousa e Alma Rivera) há que esperar que o partido possa contrariar as sondagens que lhe dão cada vez menos esperança de conseguir um grupo parlamentar como noutros tempos, e assim percebermos se a antiga vereadora na Câmara de Vila Franca consegue entrar no Parlamento. Para já  é de longe a mais bem posicionada numas listas pela região. O PCP ainda não revelou as listas de candidatos completas, nem o Bloco de Esquerda, mas Alexandre Café, também do concelho de Vila Franca, e membro da Assembleia de Freguesia de Alhandra, S. João dos Montes e Calhandriz, surge na nona posição pelo partido de Mariana Mortágua pelo distrito de Lisboa.

últimos artigos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome