O ministro da Educação João Costa inaugurou esta terça-feira as obras de requalificação e ampliação da Escola Básica do Cabo de Vialonga. A obra que contou com um investimento municipal de cerca de 2,4 milhões de euros teve como principal objetivo melhorar as condições de ensino, com aumento da capacidade para cerca de 90 alunos no ensino básico a que se somam mais 50 alunos no pré-escolar.

Este foi um projeto longo e que teve início ainda no mandato anterior de Alberto Mesquita. Uma obra complexa que, segundo o atual presidente da Câmara, Fernando Paulo Ferreira, não deixou de ter impacto na vida dos alunos, professores e encarregados de educação.
O autarca recordou a aposta na educação e na reabilitação de edifícios, “que o município tem vindo a fazer nos últimos 20 anos”. “Uma aposta que começou nos mandatos de Maria da Luz Rosinha e que se tem prolongado até aos dias de hoje”, destacou, ressalvando que este é um dos setores prioritários para a Câmara Municipal.

No discurso de boas-vindas, Fernando Paulo Ferreira, reforçou perante o ministro que a autarquia “está fortemente empenhada nesta área da educação”, destacando os “investimentos significativos nas infraestruturas quer do pré-escolar, quer do primeiro ciclo, que são as suas responsabilidades e competências diretas”.

O autarca sublinhou o investimento nesta escola de Vialonga que ultrapassa os 2 milhões de euros e que passará a ter agora mais valências, uma biblioteca e centro de recursos, três salas de atividades extracurriculares, sala de docentes, sala polivalente, refeitório e copa, para além de um espaço destinado a um gabinete médico/enfermaria.

Para Fernando Paulo Ferreira, esta “é uma escola nova”. “Com mais valências, espaços desportivos e mais qualidade não só para alunos como para o pessoal não docente e professores”, expressou.

Para o ministro João Costa, o trabalho desenvolvido em Vialonga é uma mais-valia e é reconhecido. O governante recordou a escola dirigida pela “professora Armandina” e vincou a necessidade de o Governo continuar a acompanhar os municípios nestes projetos.
João Costa destacou ainda os projetos educativos e a sua necessária qualidade. Para o governante este tipo de edifícios modernos e com todas as valências são importantes, mas mais importante será o projeto educativo inserido no mesmo. O ministro que deu as boas-vindas à nova diretora da escola, garantiu igualmente a ajuda das equipas do ministério da Educação.

Joao Costa destacou também que o Governo “tem feito uma grande transformação do sistema educativo em toda a área pedagógica e em toda a área curricular”, vincando o “entusiasmo” dos docentes nestes projetos que “aos poucos vem transformado o ensino”.

Escola Básica 2,3 de Vialonga desespera por obras

O presidente da Câmara de Vila Franca de Xira lançou o desafio ao governo e à CCDR de Lisboa para ajudar nas obras da escola EB 2,3 de Vialonga. O edifício aguarda há vários anos por uma intervenção e nesse sentido a autarquia quer também o empenho do Governo no acesso a fundos comunitários

Fernando Paulo Ferreira espera conseguir candidatar-se a um financiamento em novembro, mas já avisou que se não conseguir, será a Câmara Municipal a avançar com as obras, adiantando-se mais uma vez ao Governo.

A situação deste edifício escolar é desesperante e por isso o autarca admite propor à Assembleia Municipal uma revisão orçamental no valor de 11 milhões de euros, piscando o olho à oposição “Não tenho dúvidas que contarei certamente com as diversas forças políticas”, destacando: “Se há uma coisa que não temos dúvidas aqui no nosso concelho, é que esta é uma obra muito importante” assim como o setor da educação “onde o município tem vindo a investir”.

Artigo anteriorRui Corça demolidor chama criançola irresponsável ao comandante dos bombeiros
Próximo artigoProjeto do Aveiras Eco Valley já adquiriu terrenos a mais de 30 proprietários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva um comentário
Por favor, o seu nome